Pode parecer que não, mas existe um armazém nos arredores de Lisboa onde tudo isto acontece...
.posts recentes

. Olho de serpente

. Uma Questão de Cor

. O Homem da Maratona

. Andamos todos aos pacotes...

. Há excepções

. Uma questão de status

. O homem do Smart

. Personagens - Surucucu

. Lapónico

. Personagens - Idália

.arquivos

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

Terça-feira, 1 de Abril de 2008
Personagens - Surucucu

Surucucu é das personagens mais versáteis do Armazém 6.
É capaz de, com uma extraordinária perícia, sacar agrafos, contar folhas e passar folhas ao mesmo tempo. Frenética e motivada fá-lo apenas para impressionar Idália.
No entanto, com essa mesma perícia é também capaz de mudar de opinião com a mesma velocidade com que saca um agrafo.
Vive obcecada com o ordenado dos outros.
Todos os meses, o patrão bigodes, vem cheio de pressa, distribuir os cheques de cada um.
É sempre um dia excitante onde há sempre discussão. Ou melhor, não há discussão, porque no Armazém 6 todos têm o hábito de nunca falar com a pessoa correcta, fala-se sempre com aquele que pode estar de acordo com as críticas.
Em 6 anos de Armazém 6, foram poucas as discussões cara-a-cara a que assisti.
Surucucu é mestra nisso.
Nunca discute com ninguém (à excepção de uma vez com um certo Senhor, que viria depois dessa discussão a ser apelidado de Dr. da Merda), mas consegue pôr todos a amar alguns, alguns a odiar todos, todos a odiar todos, alguns a amar alguns mas nunca todos a amar todos.
Surucucu vive apaixonada por Bolotas, um outro "armazenado" que raramente está presente, o que dá azo a muito falatório. Desde há algum tempo conseguiu os seus intentos e vive uma relação apaixonada com Bolotas, apesar de estar convencida de que ninguém ainda o constatou.
Surucucu é aquilo a que se pode chamar de uma "Boazona".
Bolotas é um marialva que apenas viu nela uma oportunidade de passar "bons momentos".
Certo dia, dia de pagamento, o patrão Bigodes veio com a sua pressa distribuir os devidos salários.
No dia seguinte Surucucu apareceu no Armazém 6, chorosa de olhos vermelhos e tristonha, dizendo que tinha perdido todo o dinheiro (que entretanto tinha levantado em numerário) no supermercado Jumbo. Inexplicavelmente, tinha deixado o porta-moedas em cima do balcão e num momento de distracção, quando se tinha virado para chamar a atenção de seu filho, o porta-moedas cheio de notas tinha desaparecido.
A história era comovente: "Mas ca ganda galo xavala!", "É assim, tu deves agora é tentar encontrar o dinheiro. É assim, se alguém honesto encontrou o teu porta-moedas, é assim ha-des de tê-lo de volta. É assim não te preocupes, tudo se há-de resolver. É assim, afinal tu puzéstezío aonde?", dizia Cabeça de Fósforo tentando consolar Surucucu que chorava e chorava e chorava enquanto tentava mais uma vez explicar o que tinha acontecido.
Mas o dinheiro não apareceu...
Surucucu teve de tomar uma decisão.
Telefonou chorosa ao patrão Bigodes explicou-lhe o que tinha acontecido e suplicou-lhe que lhe desse outro salário, que ela no fim do outro mês lhe pagaria em prestações e aos poucos.
O patrão Bigodes mostrou-se sensível e receptivo. Disse que ia ponderar.
O dinheiro na realidade não se perdeu no Jumbo. Bolotas na discoteca, enquanto dançava estonteado pelo álcool, agarrou no salário, comprou uma prenda a Surucucu, levou-a a passar a noite num hotel de luxo em Lisboa e "perdeu" o resto.
Na semana seguinte patrão Bigodes regojizou-se com o direito que teve a um beijo agradecido de Surucucu ao levar-lhe um segundo salário...

sinto-me: Enganada
publicado por bruaca às 17:13
link do post | comentar | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
.links
.contador
.Candidato a
blogs SAPO
.subscrever feeds